Senna multijuga var. verrucosa (Vogel) H.S. Irwin & R.C. Barneby

Aplicação Comercial: 
Madeira serrada e roliça: a madeira do pau-cigarra é usada localmente em construção civil, como esquadrias, estacas, forros e tabuados; é adequada para fósforos, móveis populares e mourões de baixa durabilidade. Energia: produz lenha e carvão de qualidade razoável. Celulose e papel: espécie inadequada para este uso. Matéria tintorial: a casca produz corante, muito usado em tinturaria. Resina: extraída após ferimento do tronco.
Importância Ecológica: 
Reflorestamento para recuperação ambiental: o pau-cigarra é muito procurado por tatus, que fazem buracos na base do tronco, procurando ninfas de cigarras que ficam escondidas no solo para seu alimento. Em Minas Gerais, as folhas, as flores e os frutos são fontes de alimento para o muriqui ou Brachyteles arachnoides (Mendonça Filho, 1996). É recomendado para reabilitação de áreas de mineração de bauxita em Minas Gerais (Dias, 1982), podendo ser usado em solo alterado pela exploração do xisto (Carvalho, 1988) e para recuperação de solos degradados, na Serra do Mar. Essa espécie apresenta boa deposição de folhedo, dificultando o aparecimento de gramíneas invasoras.
Nomes Populares: 
Referências Aplicação Comercial: 
http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CNPF-2009-09/41447/1/circ-tec92.pdf <acessado em 17 de julho de 2015>
Referências Importância Ecológica: 
MENDONÇA FILHO, C.V. Braúna, angico, jacarandá e outras leguminosas de Mata Atlântica: Estação Biológica de Caratinga, Minas Gerais. Belo Horizonte: Fundação Botânica / Margaret Mee / Fundação Biodiversitas / AP.EBC / IEF / FZB-BH / SB-MG, 1996.100p.
DIAS, A.C. Reabilitação de áreas mineradas de bauxita. In: CONGRESSO NACIONAL SOBRE ESSÊNCIAS NATIVAS, 1982, Campos do Jordão. Anais... São Paulo: Instituto Florestal, 1982. p.1865-1873. Publicado na Silvicultura em São Paulo, v.16 A, parte 3, 1982.
CARVALHO, P.E.R. Louro-pardo. Boletim de Pesquisa Florestal, Curitiba, n.17, p.63-66, 1988